18 de novembro de 2015

SWEET PEPPER !!: Importando com Sucesso Não compre antes de ler isso!

SWEET PEPPER !!: AGORA É OFICIAL: RIO GRANDE DO SUL VAI PRODUZIR A FOSFOETANOLAMINA PARA TRATAR O CÂNCER

SWEET PEPPER !!: AGORA É OFICIAL: RIO GRANDE DO SUL VAI PRODUZIR A FOSFOETANOLAMINA PARA TRATAR O CÂNCER Este é o início da minha postagem. E este é o restante dela.

AGORA É OFICIAL: RIO GRANDE DO SUL VAI PRODUZIR A FOSFOETANOLAMINA PARA TRATAR O CÂNCER

O deputado estadual Marlon Santos (PDT), confirma que o governo do Rio Grande do Sul vai produzir a medicação Fosfoetanolamina Sintética.




Na última quarta-feira (11), por meio de um comunicado em vídeo, o deputado estadual do PDT gaúcho, Marlon Santos afirmou, que o estado do Rio Grande do Sul, irá fabricar garantindo a distribuição em alta escala da Fosfoetanolamina Sintética. O medicamento será produzido com exclusividade, pelo laboratório de química da USP, onde será firmado uma parceria, entre o governo gaúcho e o laboratório daUniversidade Estadual de São Paulo a (USP) de São Carlos - SP.

Ell-niño será o pior da história alertam meteorologistas

Ell-niño será o pior da história alertam meteorologistas



Um alerta foi emitido na segunda-feira, dia 16 informa que o El-niño piorará demais em 3 meses, a Organização Mundial da Meteorologia, pediu que as medidas de prevenção implantadas em países aumentem. Habitualmente, os episódios do El Niño se intensificam no final do ano e alcançam a fase máxima entre outubro e janeiro, as vezes eles persistem até o primeiro trimestre antes de começar a perderem força. Em agosto de 2015, as temperaturas da superfície do mar já chegaram a atingir 1,3 e 2 graus acima da média, superando em 1 grau o nível habitual do El Niño.
Estimativas apontam que,no restante do ano, a temperatura da superfície da água do mar irá superar a temperatura normal em 2 graus centígrados, por isso a atual passagem do El Niño estará entre as três mais fortes registradas desde 1950.

O maior problema recai no fato de as condições meteorológicas do planeta terem se alterado por causa da mudança climática e as condições não são as mesmas de uma década e meia atrás: tendência geral para um aumento da temperatura do oceano, derretimento das geleiras do Ártico e diminuição de mais de 1 milhão de quilômetros quadrados da camada de neve no hemisfério norte.

17 de novembro de 2015

Cura na Natureza: Maracujá também baixa a glicemia!

Existem muitos outros alimentos naturais – além do quiabo! – com poderes comprovados sobre a glicemia. Descubra hoje do que o maracujá é capaz.
Há relatos de muitos frutos e vegetais que poderiam ser usados no tratamento do diabetes pelo fato de ajudarem na redução dos níveis de glicose no sangue, entre os quais se incluem a carambola, o caju, a romã, a azeitona roxa, a cebola e o alho. Mas quais deles já foram testados cientificamente?
Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Amazonas, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, no ano de 2012, analisou os efeitos do marucujá-do-mato sobre a glicemia. No estudo, os cientistas utilizaram uma farinha desse maracujá, obtida após descascarem, desidratarem e triturarem a fruta.
. Para testar a eficácia da farinha, foram usados 15 ratos diabéticos. Na primeira etapa do experimento, os animais foram divididos em dois grupos: um deles comeu a farinha, enquanto o outro não. Na segunda etapa, os pesquisadores deram aos ratos uma solução de açúcar e acompanharam a glicemia dos animais durante 2 horas. O resultado foi que os ratos alimentados com a farinha antes da ingestão de açúcar apresentaram uma glicemia menor durante todo o período de testes quando comparados aos ratos que não receberam a farinha. Essa redução chegou a ser de até 60%, quando foi medida 15 minutos depois da ingestão de açúcar.

Os cientistas usaram duas doses diferentes de farinha: uma de 0,5 grama para cada quilo de peso do animal e outra de 1 grama por quilo. Quanto maior a dose da farinha, maior sua eficácia para reduzir a glicemia. Os pesquisadores ressaltaram que, apesar da dose ser relativamente alta quando comparada a de outras drogas, não houve nenhum sinal de efeito colateral nos animais.POR QUE O MARACUJÁ-DO-MATO PODE AJUDAR NA REDUÇÃO DA GLICEMIA?

Os cientistas acreditam que o efeito do maracujá-do-mato sobre os níveis de glicose no sangue pode estar relacionado ao fato de que ele contém grandes quantidades de fibras alimentares. Outros estudos já haviam demonstrado que essas fibras auxiliam no controle da glicemia.



E QUANTO AO MARACUJÁ COMUM?

Um estudo realizado pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiróz” (ESALQ), da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com Instituto Agronômico de Campinas (IAC), estudou os efeitos da casca do maracujá (Passiflora edulis) sobre a glicemia. A pesquisa também foi feita em ratos diabéticos e mostrou que, ao longo de 30 dias, os ratos que comeram uma farinha feita a partir da casca do maracujá tiveram seus níveis de glicose reduzidos em até 59%. A casca do maracujá, assim como o maracujá-do-mato, tem grandes quantidades de fibras, que podem ter auxiliado no controle da glicemia dos animaisE O QUE TUDO ISSO SIGNIFICA?

É importante ressaltar que essas pesquisas citadas não foram realizadas em seres humanos e essas frutas não substituem os remédios para controlar a glicemia. Ainda são necessários mais estudos para que, possivelmente, um tratamento alternativo seja desenvolvido no futuro. Até lá, o que essas pesquisas indicam é que o maracujá e o maracujá-do-mato tem potencial para ajudar no controle da glicemia de pacientes com diabetes.

.Fonte Diabeticool.

Você Sabia?

Você sabia... Que camadas de células mortas ficam acumuladas na pele, como se fossem escamas, e sujeiras ambientais também se depositam ...